A descoberta da segunda gravidez é um momento repleto de felicidade para toda a família, mas que também suscita de imediato uma questão aos pais: como irá o filho mais velho aceitar o novo membro da família?

São muitas as crianças que pedem um irmão para terem companhia para brincar, mas, quando o pedido é concretizado, por vezes, revelam alterações no comportamento, após o entusiasmo inicial. É natural que tal aconteça, afinal a dinâmica e rotina familiares vão mudar. As crianças mais novas que ainda não verbalizam as suas emoções podem reagir à notícia com comportamentos regressivos, como voltar a querer dormir com os pais. Já as crianças mais velhas podem revelar o que sentem, fazendo mais birras e testando os limites e regras dos pais.

Este comportamento surge porque as crianças têm dúvidas sobre como será a nova rotina familiar e que lugar vão ocupar nesta nova dinâmica. Dúvidas como “os meus pais já não vão ter tempo para mim” e “os meus pais vão gostar mais do bebé do que de mim” são comuns à maioria. E são estas dúvidas que vão originar emoções difíceis de gerir, como a angústia, exclusão e até ambivalência, quando a criança sente alegria por ir ter um irmão, mas assusta-se com o facto de deixar de ser o centro das atenções dos pais.

Discurso simples e tranquilo

É por isso importante ajudar o seu filho mais velho a adaptar-se à ideia da chegada de um novo elemento da família, esclarecendo todas as suas dúvidas e valorizando todas as emoções que revela através dos seus comportamentos, mesmo que estes testem as suas regras. Logo que possível, dê a boa notícia à criança. Se preferir completar o primeiro trimestre de gravidez, não adie a notícia para muito depois de atingir este marco. A criança pode ficar preocupada se vir a mãe enjoada ou cansada ou ouvir alguma conversa sobre a nova gravidez e sentir-se excluída e triste por não saber a notícia.

É também positivo explicar à criança as mudanças que a rotina familiar vai sofrer e responder, de forma clara, a todas as dúvidas que esta apresentar. Explique também à criança o que é a gravidez; para fazê-lo pode mostrar fotografias da primeira gravidez e deixar a criança sentir o bebé a mexer-se na barriga. Envolver a criança em todas as actividades relacionadas com o bebé é outra forma de esta se sentir incluída no processo. Peça-lhe sugestões para o nome do bebé, ajuda para preparar o quarto do irmão e leve-o a consultas de acompanhamento da gravidez para a criança sentir que a sua participação é importante.

Antecipar rotinas

Mostre ao seu filho mais velho a importância que ele tem no seio familiar. Um dos maiores receios das crianças é que a vinda de um bebé novo os faça perder o carinho dos pais. Antecipar as alterações nas rotinas da criança antes da chegada do bebé também irá evitar que associe as mudanças à chegada do irmão; por exemplo, um a dois meses antes do nascimento, o pai deve passar a fazer algumas rotinas que estavam a cargo da mãe (o deitar, tomar banho, etc). Obviamente que a mãe pode estar presente, mas estes passam a ser momentos que a criança tem com o pai. Desta forma, a criança não vai sentir que a atenção e presença da mãe ou do pai, nas rotinas diárias, é uma competição entre si e o bebé.

Ligação única

Obviamente que a chegada de mais um membro à família vai suscitar dúvidas e ansiedade a todos os elementos da família, assim como vai implicar que toda a família se adapte às alterações que vão acontecer. Mas é importante salientar que, com o nascimento do bebé, a alegria e felicidade que a família sente fazem com que tudo seja ultrapassado e se fortaleçam laços de carinho únicos para o resto da vida.