Em tempo de confinamento, as famílias, em especial os mais novos, passam uma grande parte do seu tempo em frente a um ecrã. Consciente de tal facto, a Netflix acaba de aplicar ao seu serviço novas opções de controlo parental que permite ao progenitores definir o que cada elemento da família pode (ou não) ver.

A nova versão foi apresentada, em videoconferência, pela responsável de inovação de produto kids & family da empresa, Michelle Parsons, e consiste em que em cada conta Netflix, o proprietário pode agora definir uma idade mínima para os conteúdos visualizados por cada membro da família.

Por outras palavras, pode estabelecer-se que uma subconta só consiga aceder a conteúdos para maiores de seis anos, dez anos e assim sucessivamente, até aos 18 anos ou mais que têm acesso à totalidade do catálogo.

Outra das novidades apresentadas foi o facto de agora cada subconta na plataforma poder ter um PIN de quatro algarismos que é crucial para entrar na respectiva conta. De resto, a Netflix aproveitou também esta ocasião para confirmar que reduziu a qualidade de conteúdos em toda a Europa (Portugal incluído), atendendo ao pedido feito pela Comissão Europeia que tem como objectivo a prevenção de um possível colapso das redes de comunicações.