Reduza o risco de acidentes domésticos com crianças. Mantenha desinfectantes longe da vista e do alcance e instale alguns equipamentos para melhorar a segurança da casa. Estes são apenas alguns dos conselhos que a Deco deixa aos pais neste dossier de segurança infantil dentro de casa.

Entre o teletrabalho, as lides domésticas e o apoio aos filhos, os pais poderão estar assoberbados e menos atentos a situações de risco. A sede de aventura e a curiosidade insaciável das crianças pode levá-las a fazer experiências que poderão provocar acidentes, por vezes, graves: por exemplo, ingerirem acidentalmente desinfectante hidroalcoólico, experimentarem uma cápsula colorida de detergente, saltarem em cima de brinquedos na varanda e desequilibrarem-se, correrem pela casa e embaterem contra a esquina pontiaguda de um móvel.

Numa fracção de segundos, ao desviar a atenção das actividades dos mais pequenos, uma tragédia pode acontecer. Em caso de emergência, ligue para o 112.

Cerca de metade dos acidentes ocorre em casa

Em 2018, os acidentes domésticos e de lazer aumentaram. O sistema EVITA, o sistema nacional de monitorização de acidentes domésticos e de lazer, registou 106 179 casos, um valor mais elevado do que o verificado em anos anteriores. O relatório publicado no Boletim Epidemiológico do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA) acrescenta que a grande maioria desses acidentes ocorre em casa (quase metade dos casos), sendo as quedas o principal motivo que levam a recorrer às urgências hospitalares.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde e do Eurostat, o gabinete de estatísticas da União Europeia, morrem, em média, 700 pessoas por dia nos 27 Estados-membros, devido a acidentes, sendo esta a principal causa de óbitos entre 1 e 24 anos.

Gel hidroalcoólico, detergentes e medicamentos longe da vista

Gel hidroalcoólico

Não é inofensivo. Neste período que atravessamos, há uma certa tendência para espalhar frascos um pouco por toda a casa, para que estejam sempre à mão. Este produto inclui uma forte concentração de álcool etílico, com riscos para as crianças que poderiam sentir-se tentadas a prová-lo. Tal poderia causar uma queda nos níveis de açúcar no sangue, uma intoxicação alcoólica e convulsões que requerem uma hospitalização. Em casa, é preferível optar por lavar as mãos com água e sabonete e guardar as soluções desinfectantes para as saídas.

Cápsulas de detergente

As cápsulas coloridas de detergente líquido para a roupa ou para a loiça são muito apelativas para as crianças. Mas atenção: contêm substâncias muito irritantes para as mucosas da boca, para os olhos e para a pele. A ingestão acidental pode causar náuseas e vómitos. Um jato de detergente na garganta pode originar dificuldades respiratórias e exigir tratamento hospitalar. Estes produtos devem, por isso, ser arrumados longe da vista e do alcance das crianças. O mesmo é válido para os medicamentos.

Produtos de limpeza

Veja aqui os melhores truques para limpar e desinfectar a casa em tempo de coronavírus. É especialmente importante não deixar as crianças participarem nas operações que incluam detergentes concentrados ou desinfectantes. Alguns são especialmente tóxicos, como pode verificar nos símbolos inscritos nos rótulos dos produtos. A ingestão de lixívia concentrada pode causar queimaduras na boca, no esófago e no estômago, e o contacto com a pele, irritações ou até queimaduras.

Encher garrafas de água ou de outras bebidas com produtos tóxicos ou detergente é muito perigoso, devido ao risco de ingestão acidental, tanto por crianças como por adultos. Os detergentes têm sempre ingredientes nocivos ou mesmo tóxicos.

Tenha ainda o cuidado de não misturar produtos de limpeza, sob pena de libertarem vapores irritantes para os olhos e para a garganta. Os riscos são válidos tanto para os humanos como para os animais de estimação. Há quem pense que se pode reforçar o efeito desinfectante de um detergente juntando lixívia. Mas esta prática é muito perigosa: estas misturas podem criar um cocktail químico tóxico. Misturar um ácido (um produto anti-calcário, por exemplo) com lixívia (base) produz gás de cloro, extremamente tóxico. O Centro de Informação Antivevenos (CIAV) recebe muitas chamadas de vítimas de irritações causadas pelos vapores gerados por este tipo de misturas.

Se um produto perigoso entrar em contacto com a pele ou os olhos, passe-os abundantemente por água morna durante uma dezena de minutos. Em caso de ingestão acidental, não provoque o vómito. Passe a boca por água e ligue para o Centro de Informação Antivevenos (800 250 250).

Equipamentos à prova de traquinas

Verifique todos os equipamentos que poderão tornar o lar mais seguro, com os respectivos preços aproximados. A factura total dos equipamentos aconselhados, e recomendados pela Organização Mundial da Saúde e pelas associações de segurança infantil europeias, ronda os 150 euros. O investimento vale a pena. Permite evitar, pelo menos, parte dos acidentes.