Independentemente do número de elementos que uma família tenha, cada membro é marcado pela vida familiar. Em família, são criadas memórias, vividas experiências, partilham-se sonhos e desejos, assim como se sente alegria e tristeza. O universo familiar tem um papel fundamental na construção e desenvolvimento de cada um de nós. Por sua vez, os rituais familiares são o palco perfeito para todos os elementos se expressarem e criarem a tão importante união familiar.

Essa união vai permitir ao novo elemento da família, a criança, sentir a segurança necessária para explorar e compreender o mundo que a rodeia. Já as rotinas familiares vão transmitir uma sensação de previsibilidade, que permite aos mais novos sentirem algum controlo sobre o ambiente onde estão envolvidos.

No fundo, as rotinas fazem parte dos rituais familiares e daí a importância de serem estabelecidas e, sobretudo, mantidas ao longo do tempo. Os rituais familiares encerram em si uma componente emocional. São o elemento que representa a identidade de uma família e um dos factores que mais contribuem para que cada membro sinta que pertence a um grupo; grupo esse que transmite a cultura, valores e tradições daquela família específica às várias gerações que a compõem.

As datas festivas, como os aniversários e o Natal, são os momentos familiares por excelência e que têm um peso significativo na construção de uma união familiar forte e salutar. Nestas alturas é comum os familiares partilharem histórias de outros membros da família, assim como alguns costumes e crenças que vão reforçar o sentimento de pertença dos elementos àquele grupo e fortalecer a união familiar.

Existem vários tipos de rotinas e rituais familiares que ajudam à coesão do grupo. Por exemplo, as rotinas que atribuem responsabilidades a cada membro da família, como pedir à criança que ajude a arrumar as compras. Esta simples tarefa vai permitir à criança sentir autonomia e responsabilidade. As refeições em família são também um momento para fortalecimento de laços, uma vez que esta é uma ocasião onde a família define a sua forma de estar e a sua identidade.

Também a maneira como a família se cumprimenta ou acarinha são únicos e característicos da identidade daquela família específica. Estas rotinas conferem a todos os membros da família o sentimento de pertencerem a um grupo concreto. Por outro lado, os rituais familiares têm também o poder de transmitir confiança e segurança. Ao existir um momento na rotina, no qual a família partilhe como decorreu o seu dia, todos os elementos vão revelar as suas alegrias e angústias e o seio familiar vai funcionar como um refúgio seguro de apoio.

É igualmente importante criar rituais, nos quais todos os elementos sintam que desempenham um papel fundamental não só na própria família, mas também na construção da união. Existem os mais variados rituais familiares e cada um deles torna a família única e reforça a coesão entre os seus elementos. O que importa reter é que transmitem à criança a identidade da família, os valores pelos quais se pauta e a cultura que a rege.

Todos estes factores vão desempenhar um papel fulcral no desenvolvimento da criança e no que será quando adulta. E as exigências da rotina diária não devem sobrepôr-se aos rituais familiares. Para isso, basta optar por aqueles que possam ser implementados facilmente no dia-a-dia, como, por exemplo, o jantar em família com a tecnologia afastada da mesa da refeição. Desta forma, todos os membros vão ter diariamente um espaço de partilha pessoal, junto da sua “tribo” única.

Ideias simples que facilitam os rituais familiares

  • Adapte a actividade familiar à faixa etária da criança. As crianças mais novas não vão manter-se quietas, se não estiverem interessadas na actividade.
  • Nas refeições em família, trabalhe sempre o lado positivo. Ainda que, por vezes, tenha de corrigir a criança durante a refeição, promova conversas que a cativem e que a faça manter o interesse em estar à mesa.
  • Para motivar as crianças para as refeições em família, faça o seu prato favorito. Assim, os mais novos vão beneficiar não só do “petisco”, como também da interacção familiar.
  • Sugira que cada membro da família escolha uma actividade para realizarem em conjunto. Assim, todos podem contribuir para estarem juntos e reforçar laços, divertindo-se.