É normal os pais encontrarem dificuldades em lidar com a altura de mudar os filhos para o seu quarto. Mas a verdade é que a criança deve ter a sua cama e o seu quarto, e quanto mais cedo melhor

Depois dos dias passados na maternidade é hora de voltar para casa. Nessa fase, os pais querem ter 100% de certeza de que está tudo bem com o seu bebé, pelo que é normal que o ponham a dormir no seu quarto. Isso é bom e recomendável, pois acima de tudo está a segurança do bebé. Mas esta é uma situação que não deverá ser mantida muito depois dos 5/6 meses do bebé, até porque, quanto mais tarde se proceder a essa transição, mais difícil será a adaptação. Assim, com paciência, perseverança e sem receios dê mais este passo rumo a uma vida familiar mais saudável para todos os membros.

Qual a altura certa?

O bebé pode ficar a dormir no seu quarto assim que chega da maternidade, mas tal não será muito confortável para os pais, pois a criança vai acordar muitas vezes para comer, ou porque se assusta. Como deve ir ver o bebé de cada vez que este chorar, esta não será, certamente, a melhor solução para as primeiras semanas e meses de vida. A partir do momento em que o bebé passa a mamar de 4 em 4 horas, ou quando já dormir uma noite completa, estão reunidas as principais condições para que possa passar para o seu quarto. Claro que se continuar a amamentar, a mãe pode optar por mantê-lo mais perto, até para uma maior comodidade. Mas tal não deve ir além dos 10 meses, uma vez que depois a criança pode estranhar, não querendo ficar sozinha no seu quarto e sentindo dificuldade em adormecer. Ninguém nega que os primeiros tempos após a mudança podem ser de alguma angústia para os pais, que vão questionar-se se o bebé está a respirar, se terá frio ou calor, se estará destapado, entre outras dúvidas. Para ajudar a diminuir estas e outras ansiedades, por que não adquirir um intercomunicador? Obviamente que este não vai fazer com que todas as preocupações desapareçam mas vai, certamente, ajudar a diminuir os níveis de ansiedade dos pais, reduzindo as visitas ao quarto da criança, proporcionando assim um maior descanso.

No caso de crianças um pouco mais velhas, que estão acostumadas a dormir no meio dos pais, a situação pode não ser tão fácil de reverter. Aqui a rotina pode funcionar como uma importante aliada. Desta forma, imponha um horário diário. Meia hora antes vá preparando o ambiente, diminuindo a intensidade das luzes, desligando todos os aparelhos electrónicos, como a televisão, e feche as janelas. O ritmo da criança vai desacelerando e o sono vai ganhado terreno. Tenha em atenção de que as regras devem ser para cumprir. Assim, se diz à criança que a hora de deitar é às 21h00, convém que o ambiente familiar proporcione isso mesmo, pelo que a essa hora já não deverá haver agitação. E não sucumba ao pedido de deixar a luz do quarto da criança acesa! Para o caso de ser necessário, use tomadas iluminadas, as quais serão certamente suficientes se a criança precisar de se levantar durante a noite.

O momento de dormir deve ser uma altura tranquila, pelo que os pais podem e devem ficar com a criança contando uma história, lendo um livro ou conversando sobre o dia que passou. Nos primeiros dias podem ficar até a criança adormecer, mas progressivamente ela deverá adormecer sozinha. Depois de dado o primeiro passo, a criança não deve voltar a dormir na cama dos pais. Imponha limites, saiba que se ceder uma vez a criança irá repetir no dia seguinte. Por muito que lhe custe, não ceda a choros ou chantagens, e coloque- -a de volta na cama. Acabará por desistir e dormir, tranquilamente, na sua cama.

O tempo de adaptação não é o mesmo para todas as crianças, pelo que o que funciona para uma pode não funcionar para outra. Avance com calma e segurança. Acima de tudo, é muito importante que seja persistente, não voltando à estaca zero.